Treino Empilhador Frontal

Exercícios práticos com empilhador frontal

A finalidade destes cursos é garantir que as pessoas sabem usar os equipamentos em segurança e que os empregadores as podem autorizar a usar essa máquina. A lei (Dec. Lei 50/2005) obriga os empregadores a só autorizarem pessoas com formação a utilizar os equipamentos automotores.
A “experiência” do operador só acontece se ele usar o equipamento e para isso ele tem que ser autorizado pelo dono da máquina a usá-lo. Teoricamente quem não tem formação não pode ter “experiência”.
Sabemos que, por enquanto, na prática ainda acontece o contrário: primeiro trabalha-se com a máquina e depois é que se vai “tirar o certificado” porque há uma inspecção, ou houve um acidente ou outra empresa para quem se trabalha o exige.
Atualmente os nossos cursos para pessoas individuais são de 8 horas mas têm no máximo 4 pessoas. Por vezes só temos uma ou duas pessoas no curso. É uma manhã de teoria e uma tarde de prática.
Não adianta ter cursos de 24, 40 ou mais horas para 20 pessoas obrigando-as a deslocarem-se vários dias para estarem sentadas a ouvir outra pessoa a falar e quase não praticarem nada porque só há uma máquina (quando há…) para 20 pessoas.
Quem não tem experiência não vai sair de nenhum curso com ela. Mas vai conhecer as regras de segurança e só vai obter o certificado quando demonstrar na teoria e na prática que sabe usar a máquina de forma adequada e que sabe o que pode e não pode fazer.
A “experiência” só a deverá adquirir depois de ser autorizado por um empregador a usar a máquina. E o empregador só deve autorizar se verificar que a pessoa teve formação, entre outros requisitos. A formação é sempre o primeiro passo para depois obter “experiência”.
Atualmente existem pessoas com muita experiência mas que não tiveram formação porque quando começaram a trabalhar não existia esta obrigação legal e as coisas faziam-se com o “saber de experiência feito”.
Primeiro experimentava-se e depois ia-se aprendendo enquanto a experiência fosse correndo bem. Muitas vezes dava certo mas também algumas vezes as coisas corriam mal por ignorância dos princípios básicos.
Agora, com a formação prévia, o que dantes corria bem continuará a correr bem mas reduzem-se ou eliminam-se as situações que dantes corriam mal.